Tratamento Diferenciado para Recaída na Dependência Química

Tratamento Diferenciado para Recaídos na Dependência Química

Tratamento Diferenciado para Recaídos na Dependência Química

 

A recaída ao uso de substâncias químicas pode acontecer depois de uma internações sem um projeto clínico terapêutico realmente desenvolvido com base na experiência de resultados positivos. Estar atento ao projeto de tratamento da clínica e aos profissionais envolvidos na reabilitação do paciente é fundamental para o sucesso da recuperação.

 

Aprendemos através dos anos de desenvolvimento terapêutico, que a interrupção do uso de qualquer substância química não significa a solução do problema. O comportamento compulsivo costuma ser precedido de ansiedade e depressão, o que confirma a necessidade de um trabalho além da abstinência. Parar com o uso das Substâncias químicas é um grande passo, mas não é o único.

 

Quando ocorrem novas internações em decorrência das recaídas a abordagem médica e psicológica, se redimensiona com focos incisivos nas causas da recaída para promover a desintoxicação aliada a um programa específico comportamental para solucionar questões psicológicas individuais.

 

O tratamento para dependentes de substâncias químicas que já passaram por internações não pode ser o mesmo para um dependente que está efetuando um tratamento pela primeira vez, o fato do alto índice de volta ao uso de drogas e álcool está diretamente ligado ao projeto da clínica que o dependente esteve internado e principalmente as abordagens clínica médica e psicoterapêuticas utilizadas nesses casos.

 

Nosso Tratamento é Diferenciado

 

Tratamento Diferenciado para Recaídos na Dependência Química

A CTES desenvolveu um plano de tratamento específico para estes casos. O tratamento para recaídos de drogas são separados na maioria das abordagens, reuniões e dinâmicas executadas separadamente dando ênfase aos aspectos que são apresentados diante da volta ao uso de substâncias químicas destes dependentes, aplicações de testes neuropsicológicos para definir e traçar o perfil do paciente e aplicar um processo medicamentoso adequado a sua realidade e comprometimento, abordagens individuais intensivas e um planejamento de curto prazo para o regime de internação.

 

“Institucionalizar um dependente de drogas com internações de baixa qualidade somente para interromper o uso de drogas contra a vontade do dependente acarreta em prejuízos físicos e psicológicos permanentes.”

 

O cronograma utilizado para um paciente reincidente em internação é diferente e alternado, dando competência para que o mesmo tenha mais liberdade de atingir o objetivo da recuperação, fases de introspecção e atividades individuais são focadas para atender cada caso.

Dúvidas Frequentes Sobre o Tratamento Diferenciado para Recaídas na Dependência Química

 A dependência química é uma doença crônica e sua recuperação é continua, muitas vezes pacientes acabam tendo recaídas e isso causa dor e decepção por interromper de certa forma o tratamento, por isso é necessário seguir com o tratamento e no pós tratamento, em regime residencial, manter a manutenção do tratamento no cotidiano.

Sim. A prevenção deve começar no tratamento, pois é a manutenção do que se pratica durante o tratamento que pode garantir a manter-se longe das substâncias. Algumas dicas de prevenção são:

  • Força de vontade:  A força de vontade é indispensável para poder manter as pessoas longe do vício.
  • Disciplina e empenho: A disciplina é necessário para evitar qualquer contato com as drogas, e o empenho de ter força de decisão para nunca mais voltar ao uso de substancias.
  • Apoio moral e psicológico:  O apoio familiar e um tratamento psicológico é fundamental para a recuperação do paciente.
  • Sobriedade: A sobriedade é o caminho para qualquer pessoa que queira viver sem drogas.

As técnicas que são utilizadas para manter o paciente longe das substancias, são técnicas para serem praticas no cotidiano do paciente ajudando a prevenir e ficar longe do vício, são ensinadas através do tratamento de prevenção contra recaídas de dependentes químicos, geralmente aplicados quando os pacientes estão finalizando o processo de tratamento para voltar ao seu meio de convívio familiar ou social, pois sabemos que é uma manutenção diária que vai garantir a recuperação desse paciente.

Não. Vivemos uma verdadeira epidemia social quando se trata de dependência química, os números de dependentes só crescem e estão cada vez mais precoces na sua iniciação no uso de substancias.
Sabemos que apesar de existirem muitos métodos de tratamentos eficazes, muitos pacientes acabam tendo recaídas seja durante ou após o tratamento, e para esses pacientes as vezes é necessário um método diferenciado de tratamento.
A recaída tão temida por todos, na verdade, faz parte do processo de recuperação do dependente e dificilmente deixará de acontecer. As recaídas acontecerão quantas vezes forem necessárias para ser aprendida. Sem esse recurso usado pela psicologia a recaída deixa de ser terapêutica. Com muita habilidade, uma equipe compromissada como a da Ctes, tem condições não apenas de reverter a crise que levou o dependente à recaída, mas minimizar o sofrimento moral e pisco-emocional causado por ela, além de usar toda a dor do retrocesso para aprender e reforçar os sentimentos e o pensamento em favor da vida.
Dúvidas?
Se você tem dúvidas sobre o Diferenciado para Recaídas na Dependência Química

Solicite um Atendimento